ANUNCIOS
Últimos assuntos
ANUNCIOS
GAIOLAS BRASIL
ESPECIES
OUTRAS ESPECIES

CLIQUE E CONFIRA CLIQUE E CONFIRA
SEXAGEM DE PÁSSAROS
Visitas
free counters
face 4
Fechar Anuncio!
Curta nosso Facebook

Cuco - Artigo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Cuco - Artigo

Mensagem por CÉLIA MARIA CAYRES em Qui 5 Mar - 14:26

Boa tarde amigos Criadores de Pássaros !

Vamos conhecer o Cuco, mas não aquele que fica dentro dos relógios de parede e gritavam "Cuco,Cuco " !

Cuco

Os Cucos tem pés bem fortes para poderem segurar-se nos ninhos que foram feitos para aves bem menores e a casca dos seus ovos é muito resistente, para que possam ser jogados de longe, sem se partirem.

É o passarinho do relógio - Antigamente os relógios de parede vinham com um mecanismo em que, a cada hora, abria-se uma portinha e saía dela um passarinho (de madeira) e cantava as horas - cuco, cuco, cuco. Eu corria para a frente do relógio e ficava esperando ele aparecer novamente.

Pertence à Ordem Cuculiformes.


A fêmea do cuco, que é um animal ovíparo (todas as aves são), põe seu ovo no ninho de outro passarinho, e para isso ela tira um dos ovos do ninho e come, e no lugar põe o seu ovo. As vezes, quando o ninho é muito vigiado, aproveita o menor descuido e lança seu ovo de uma certa distância.
O objetivo disso é que outra família de passarinhos crie seu filhote.
Quase sempre, os ovos dos Cucos são parecidos com os das espécies que parasitam. O bebê cuco demora 12 dias pra nascer e, com 8 a 10 horas de vida, as crias de Cuco expulsam doninho os ovos ou as crias que já estavam no ninho, ficando sozinho, tem mais espaço e os pais "adotivos" tem mais facilidade para alimentar uma única cria, que quase sempre é bem maior do que eles mesmos.

Com 19 dias de vida os filhotes de Cuco estão prontas para abandonar o ninho. Reproduzem-se pela primeira vez com um ou dois anos de idade.

As vezes nascem 2 cucos ao mesmo tempo e no mesmo ninho - de ovos postos por 2 fêmeas - e a luta pelo lugar acontece de uma forma muito mais violenta porque ambos são possantes e determinados, podendo ocasionar a morte dos dois por cansaço.
Os verdadeiros cucos, da família dos cuculídeos, têm uma característica singular: o parasitismo de criação, como o Cuco Canoro (Cuculus Canorus) e o Cuco Rabilongo (Clamator Glandarius).
 
O cuco coloca seus ovos em ninhos de outros pássaros, para não ter que criá-los.

As fêmeas e os machos de cuco acasalam com vários parceiros, não tendo parceiro fixo. No início da estação, as fêmeas procuram ativamente ninhos para parasitarem.

Caso a estação já esteja adiantada, podem destruir a postura ou mesmo o ninho encontrado, para que o hospedeiro tenha que fazer uma segunda postura, abrindo assim uma nova oportunidade ao parasita.






Uma vez escolhido o ninho, a fêmea espera um descuido dos papais passarinhos para por lá um ovo. Ao espalhar os seus ovos por diferentes ninhos, os Cucos asseguram uma maior probabilidade de pelo menos algum deles ter sucesso.

Quando o cuco nasce, tem toda a comida e cuidados dos pais adotivos só pra ele.

O cuco é péssimo pai e prefere destinar esta tarefa a outras aves.

Aparentemente as diferenças quanto ao tamanho e cor são bem nítidas, mas para a ave parasitada não tem importância. Ela ficará olhando por alguns instantes e voltará a incubar os ovos. Há casos onde o ovo do cuco é muito parecido com os ovos de outras espécies de aves parasitadas.


Geralmente, os ovos do pássaro hospedeiro requerem treze a quinze dias de incubação e o ovo do cuco apenas doze. Assim o filhote de cuco nasce primeiro.

Depois de 1 a 2 dias, o filhote de cuco joga os outros ovos para fora do ninho, erguendo-os nas costas, com o auxílio das asas. Se já tiverem nascido, joga também os filhotes.

A “mãe adotiva”, supondo que o cuco é mesmo seu filho, cuida dele com todo o carinho. Com apenas três semanas ele já ocupa o ninho inteiro.



Fora da época do acasalamento o cuco vive uma vida mais solitária. Alimenta-se de pequenos invertebrados, sobretu do insetos.

Larvas peludas de insetos, principalmente mariposas, são um de seus alimentos preferidos.

Macho e fêmea são diferentes quanto sua coloração, como se pode ver na foto ao lado.

O macho tem a cabeça, peito e dorso cinza, com estrias na barriga como no gavião. A fêmea tem geralmente o mesmo padrão, exceto na cor que é ferrugínea e uma sugestão de estrias na parte superior do peito.

Cucos Adultos


Os juvenis podem ser cinzas ou marrons, uma coisa que identifica os mais jovens é uma mancha branca na nuca.

É uma ave parasita de ninhos de outras aves, vai espalhando um ovo em cada ninho.

As espécies mais exploradas são a Alvéola-branca, Petinha-dos-prados, Papa-amoras-comum, Rouxinol-pequenos-dos-caniços, Papa-moscas-cinzento e toutinegra-cabeça-preta.

Cada fêmea de Cuco-canoro especializa-se num pássaro hospedeiro particular, e imita a cor do seu ovo, para que seja mais difícil de ser percebida a troca.

O Cuco-canoro as vezes é bem parecido com um gavião, por causa do seu tamanho, do seu vôo baixo e da sua longa cauda. Mas os batimentos das asas apesar de rápidos, são bastantes fracos e as asas pontiagudas movem-se sem intervalos de deslize e muito abaixo da horizontal, a cabeça pequena com um bico delicado é mantida apontando claramente para cima. É frequentemente perseguido por pequenos pássaros.

Tem este nome por causa do chamamento do macho, que é o conhecido “CUU-cuu” repetido várias vezes.



É uma ave extraordinária, pois sem conhecer os pais, o Cuco guia-se pelas estrelas e pelo sol a fim de alcançar local de origem, voltando todos os anos exatamente ao mesmo local onde viu pela primeira vez a luz do sol.

A postura é de 8-12 ovos muito diferentes imitando os ovos hospedeiros.


Em alguns casos raros, fêmeas de Cucos criaram a sua própria prole. Mas a principal particularidade da Família Cuculida e prende-se com o fato de se tratarem de aves que parasitam outras, que lhes incubam os ovos e lhes alimentam as crias.

Só na Europa, esta espécie parasita mais de 100 espécies de aves diferentes, embora cada fêmea se especialize numa espécie em particular.

 
O Cuco Rabilongo tem uma estratégia diferente: por causa das cores que exibe à nascença, consegue chamar mais a atenção da "mãe adotiva", e acaba por ganhar mais comida que os outros.

Como é de outra espécie, cresce muito mais que os seus "irmãos", até que eles acabem por definhar, sufocados e espremidos pelo seu tamanho...


Espero que tenham gostado do artigo.
avatar
CÉLIA MARIA CAYRES
SUPERVISOR CHEFE
SUPERVISOR CHEFE

Mensagens : 5966
Pontos : 8925
Reputação : 565
Data de inscrição : 06/09/2013
Idade : 53
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cuco - Artigo

Mensagem por Geraldo Franchoza em Qui 5 Mar - 19:28

Muito legal. A natureza é perfeita mesmo.
avatar
Geraldo Franchoza
Passarinheiro Avançado
Passarinheiro Avançado

Mensagens : 742
Pontos : 878
Reputação : 27
Data de inscrição : 12/03/2011
Idade : 58
Localização : Pirassununga

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cuco - Artigo

Mensagem por Eduardo Machado em Qui 5 Mar - 20:28

Interessante , gostei e curti !!! Att
avatar
Eduardo Machado
ADMINISTRADOR
ADMINISTRADOR

Mensagens : 16207
Pontos : 20325
Reputação : 1417
Data de inscrição : 07/12/2010
Idade : 36
Localização : Espirito Santo do Pinhal - SP

https://www.criadoresdepassaros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum