Doenças de Trinca Ferro
ANUNCIOS
Publicidade

free counters
Guias para criação
Anuncios

    Nenhum anúncio

    Face 3
    Fechar Anuncio!
    Curta nosso Facebook
    Compartilhe
    Ir para baixo
    Eduardo Machado
    Eduardo Machado
    ADMINISTRADOR
    ADMINISTRADOR
    Mensagens : 16993
    Pontos : 21583
    Reputação : 1511
    Data de inscrição : 07/12/2010
    Idade : 39
    Localização : Espirito Santo do Pinhal - SP
    https://www.criadoresdepassaros.com

    Doenças de Trinca Ferro  Empty Doenças de Trinca Ferro

    Seg 11 Jun - 15:16

    [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]



    Doenças de Trinca Ferro 



    IREI POSTAR ABAIXO , SOBRE ALGUMAS DOENÇAS Q ENCONTRAMOS EM NOSSO ALADO ( TRINCA FERRO)


    Mais antes de falarmos sobre as doenças do Trinca Ferro.


    A melhor opção quando um criador tem uma ave aparentemente doente é procurar um veterinário especializado .


    A observação do especialista ira dizer se é necessário ou nao a utilização de medicamentos .


    Bom vamos lá :

    PEVIDE (OU PIVITE):





    Trata-se de uma doença que prejudica de maneira especial os Trincas. A Pevide é uma inflamação na língua do Trinca Ferro. Cria-se uma crosta na língua que impede o pássaro de se alimentar direito. Com o tempo ele irá ter deficiências alimentares e sua saúde estará comprometida (podendo levá-lo à morte).


    Já de início é bom avisar: não adianta simplesmente arrancar a crosta, pois a Pevide é somente um sintoma de uma doença causada por um parasita que fica instalado no aparelho respiratório do animal. A Pevide é apenas  a "ponta do iceberg".
    Muitos criadores explicam que "curaram" a Pevide de seus Trincas arrancando a ponta da língua dos mesmos.


    Isso é uma ignorância sem tamanho, que deve ser abolida entre os trinqueiros. Submeter o animal a esta mutilação é um desconhecimento generalizado (e uma maneira de fazer a ave sofrer).


    Recomenda-se levar o animal a um veterinário especializado em aves silvestres, para que possa diagnosticar, de fato, a Pevide. O especialista irá prescrever polivitamínicos para que o pássaro seja suprido em suas necessidades nutricionais (uma vez que o Trinca acometido de Pevide tem dificuldades em se alimentar). 
    Depois, o veterinário irá prescrever um tratamento com vermífugo. Este tratamento (de vermifugação) irá acontecer de maneira gradativa, pois há risco de vida para o Trinca se o verme morrer dentro de seu aparelho respiratório.


    Por último (depois de tratada a origem do problema) o criador irá se preocupar em - finalmente - arrancar a Pevide. A retirada da Pevide em hora errada pode acarretar em sangramento e dor forte. Já a retirada no momento certo (por uma pessoa experiente) será simples e indolor. Este procedimento (de retirada da Pevide) pode ser feito por um criador que já tenha feito isso em ocasiões anteriores.


    O momento bom para a retirada da crosta é quando a língua do Trinca estiver com coloração amarelada. Esta é a hora de realizar o procedimento.


    Depois que a Pevide for retirada, o criador deve permanecer oferecendo abundância de alimentos macios ao seu pássaro. Também é importante que ele receba uma dieta rica em proteínas (ex: larvas de tenébrio, grilos e farinhadas com ovo).



    CASCA NOS PÉS E NAS PERNAS


    Aparecem sob a forma de cascas, parecendo uma bota ou cobertura, que cobre os dedos e toda a canela do trinca, dificultando a articulação, e pode levar à atrofia e à paralisia dos movimentos do pé.
    É provocada por ataque de ácaros e pela falta de higiene e de banho. Quando é muito grave, chega a forçar e prender a movimentação da anilha, que terá que ser retirado imediatamente para evitar-se a gangrana.
    Como prevença deve-se manter a gaiola o mais limpa possível, notadamente os poleiros, e propiciar condições para que o trinca tome banho todos os dias.


    se vc quiser pode procurar um veterinario para analisar e tratar o problema 
    mais se quiser fazer em casa vc pode fazer  o seguinte procedimento: colocar o trinca no contentor e banhar em água morna os pés e as canelas, para amolecer as cascas. Após isso, passar pomada que contenha bastante óleo e friccionar levemente com os dedos as áreas atingidas, até que as cascas se desprenda. Tomar todo o cuidado para não forçar e na pressa arrancar a pele, já q iniciou esse procedimento tbm aproveite  e ja de uma olhada nas unhas do trinca , corte as unhas, se for necessário.


    PEITO SECO


    Peito seco não é propriamente uma doença, é sim, um sintoma.
    A perda de massa corporal indica a incapacidade do organismo para aproveitar os nutrientes ingeridos. 

    Causas:  Várias são as causas possíveis, a mais comum é a coccidiose. Também as verminoses mais significativas poderão levar a perda de massa corporal.


    Sintomas: A perda de massa corporal faz com que o osso do peito do pássaro tome a forma de facão. Esse é um sintoma apresentado em um estagio avançado da doença. Um criador atento a seu trinca perceberá alterações de comportamento, apetite, disposição e volume de ingestão de líquidos muito antes do peito secar.


    Tratamento: É altamente indicado um exame de fezes para definir o diagnostico e determinar o tratamento

    ( ao sinal de peito seco corra pro veterinário especializado)

    Prevenção:  boa Higienização, equilíbrio da dieta,  e observar o trinca, procurando identificar possíveis problemas sanitários antes que se configure o peito seco.


    ROUQUIDÃO:



    Outro problema que acomete os Trinca Ferros é a rouquidão. Ela pode acontecer por algumas diferentes razões e o tratamento para cada uma delas é bastante diferente.
    Pode ser que o Trinca Ferro esteja rouco por ter pego um resfriado. Gaiolas que ficam em lugares com corrente de vento podem fazer com que a ave fique resfriada. Mudanças bruscas de ambiente (tirar o Trinca de casa em um dia frio) também podem causar o mesmo efeito.


    Este tipo de rouquidão pode ser tratada de maneira mais simples, com produtos naturais e uma atenção especial para o local onde a ave irá se recuperar. Recomenda-se encapar o Trinca, mantê-lo em um lugar aquecido e oferecer chá de Romã na água de beber.


    Mas o Trinca Ferro pode ficar rouco por causa de parasitas. Estes vermes ficam instalados no aparelho respiratório da ave, impedindo ela de respirar e cantar direito. Neste caso, recomenda-se levar a ave a um veterinário, para que ele possa diagnosticar, de fato, a origem da enfermidade. Caso queira correr o risco de realizar um tratamento particular (sem supervisão médica) o criador pode adquirir produtos como Tylotrat, Nalyt, Tylan, Allax ou Ivomec. No caso, o passarinheiro terá de optar por um dos medicamentos citados; deverá observar as informações de bula e seguir as orientações da mesma.


    CORIZA



    Oque pode causar a coriza é : bruscas mudanças na temperatura , trinca em locais úmidos(pisos ou paredes), aves mal alimentadas, falta de vitamina C. os sintomas podem ser : desde secreção aquosa nos olhos e narinas.
     as narinas ficam completamente obstruídas. Os olhos, em virtude da infecção, ficam inflamados e a ave pode perder a visão.

    Tratamento: se quiser pode procurar  um veterinário para tratamento  ou deixe o trinca dentro de casa em local aonde nao pegue rajadas de vento , não havendo melhorar nele , procure um veterinário .





    ÁCAROS DE TRAQUÉIA


    Os Acáros de Traquéia são pequenos parasitas, que podem ser vistos até mesmo à olho nu ou com auxílio de uma lupa. Irritam a mucosa das àreas que atacam tais como: traquéia, pulmões, sacos aéreos, chegando mesmo à atingir os ossos pneumáticos. Eles ao atacarem essas àreas nas quais se instalam, produzem lesões pois, alimentam-se de sangue, causando patologias por si só e abrindo caminho para infecções por bactérias, vírus, fungos e mycoplasmas oportunistas.



    Quando á incidência desse problema deve-se melhorar o sistema de ventilação pois, com uma melhor ventilação, melhoramos a  circulação de ar eliminando partículas em suspensão no ar do criadouro. Os ácaros em um criadouro podem ser trazidos por trincas ou outros pássaros novas introduzidas  e que não tenham sido submetidas à quarentena em ambiente separado do criadouro ou por correntes de ar mal distribuídas ou podem existir naturalmente no ambiente, onde alimentam-se de detritos e de maneira oportunista, podendo infectar os trincas. Um excesso de população também pode levar à problemas de má qualidade do ar pois, aumenta a quantidade de partículas em suspensão no ar do criadouro. 


    OS PRINCIPAIS SINTOMAS SÃO: 


    Dificuldade respiratória. 


    Tosse e o trinca emite sons como gemidos, dando a impressão que está engasgada. 
    o trinca perde a voz. 


    o trinca abre muito o bico e o limpa constantemente no poleiro. 
    Em casos de infestação extrema pode ocorrer a morte da ave por asfixia mecânica.



    As formas de se evitar esse tipo de "inimigo" da saúde nossos trincas são: 

    Um bom manejo higiênico do criadouro. 
    Quarentena de novos trincas ou outro pássaros . 
    Aplicação de produto preventivo , Boa ventilação e renovação do ar, mas, sem correntes de ar passando diretamente pelas gaiolas, pois, essas correntes podem carregar ácaros e outros agentes infectantes. 


    Isolamento de trincas ou outros pássaros  infestadas do ambiente do criadouro, aliás, para qualquer doença deve-se retirar o indivíduo do criadouro. 
    Eliminação das aves mortas
    É possível que a água de bebida seja uma fonte de infestação, portanto, temos que ter cuidado com a higiene dos bebedouros.


    ÁCAROS DAS PENAS



    Em ambiente natural é comum a presença de alguns piolhos brancos/amarelados, que, normalmente não são visíveis, sendo residentes naturais, que são até benéficos para os trincas, pois removem células mortas das penas e pele e até determinadas bactérias. Quando a higiene é relaxada no criatório, o acumulo de sujeira e de fezes formam o ambiente propício para o desenvolvimento de uma superpopulação de parasitas que passam a incomodar o trinca.


    Há casos, inclusive de fêmeas que abandonam o choco por se sentirem incomodadas, embora esses piolhos não se alimentem do sangue dos pássaros. As reinfestações podem acontecer a qualquer momento. Pardais e outros pássaros contribuem para o ressurgimento de novos focos.

    Sintomas: O trinca  passa a se coçar seguidamente ficando inquieto na gaiola. As cerdas ficam com aspecto "roído", quebradas, imperfeitas e sem brilho. Dependendo da quantidade de ácaros, podem comprometer o vôo. 


    Prevenção: Além da higiene, use 4 ou 5 gotas de vinagre de maçã na água do banho ajudam a manter os parasitas longe. Pulverizações quinzenais com o produto Plumas Kleen (retire todo os potes de alimentação da gaiola , osso de siba , pedra calcio e tbm o bebedor ) mantém os piolhos e outros parasitas longe dos pássaros, funcionando, ainda como repelente de insetos.



    OBESIDADE:


    Trincas ficam gordos quando não tem espaço suficiente para se exercitarem ou quando ingerem alimento em excesso (ou alimentos gordurosos em grandes quantidades). Nestes casos, recomeda-se oferecer uma gaiola maior ao Trinca Ferro (ou colocá-lo em uma voadeira ou em um viveiro).


    Muitos criadores mantém seus Trincas em gaiolas com as mesmas medidas das gaiolas de torneios, este espaço não é suficiente para a vida diária do animal. São boas para torneios porque seu tamanho diminuto permite um contato visual constante com as aves adversárias; mas são muito pequenas para servirem de moradia do pássaro.


    O criador também deve ter uma atenção especial para com a alimentação do Trinca Ferro. Recomenda-se utilizar as Rações Extrusadas (por serem naturalmente equilibradas) e oferecer farinhadas somente em um dia da semana (pois as mesmas ingeridas em excesso podem deixar a ave gorda).


    OUTRAS DICAS :


    Há muitos outros sintomas que indicam que um trinca está doente. Para isso, o criador deverá observar o trinca constantemente. O melhor preventivo é o olho do dono! Veja alguns sintomas que devem deixá-lo em sinal de alerta e procure por um veterinário se observar algum deles em seu trinca ferro .



    - Trinca ferro      quieto, sem disposição, em um canto da gaiola ou no fundo da mesma.
    - Trinca ferro    que não come
    - Trinca ferro    que bebe muita água
    - Trinca ferro     que está muito magro
    - Trinca ferro    que passa o dia respirando com o bico aberto
    - Trinca ferro    que emite chiados enquanto respira
    -  Trinca ferro    que sempre dorme apoiado nas duas pernas



    OBSERVANDO SUAS AVES TODOS OS DIAS VOCÊ PODE NOTAR COMPORTAMENTOS ESTRANHOS E EVITAR QUE MUITAS DAS DOENÇAS DE AGRAVEM




    É isso  pessoal  espero que tenham gostado do que foi falado ali em cima  .    


    Última edição por Eduardo Machado em Sex 29 Mar - 23:11, editado 2 vez(es)



      [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]



                                                                   


    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
    Eduardo Machado
    Eduardo Machado
    ADMINISTRADOR
    ADMINISTRADOR
    Mensagens : 16993
    Pontos : 21583
    Reputação : 1511
    Data de inscrição : 07/12/2010
    Idade : 39
    Localização : Espirito Santo do Pinhal - SP
    https://www.criadoresdepassaros.com

    Doenças de Trinca Ferro  Empty Re: Doenças de Trinca Ferro

    Sex 8 Fev - 11:07
    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] escreveu:

    Doenças de Trinca Ferro 


    IREI POSTAR ABAIXO , SOBRE ALGUMAS DOENÇAS Q ENCONTRAMOS EM NOSSO ALADO
     ( TRINCA FERRO)




    Mais antes de falarmos sobre as doenças do Trinca Ferro.


    A melhor opção quando um criador tem uma ave aparentemente doente é procurar um veterinário especializado .


    A observação do especialista ira dizer se é necessário ou nao a utilização de medicamentos .


    Bom vamos lá :

    PEVIDE (OU PIVITE):







    Trata-se de uma doença que prejudica de maneira especial os Trincas. A Pevide é uma inflamação na língua do Trinca Ferro. Cria-se uma crosta na língua que impede o pássaro de se alimentar direito. Com o tempo ele irá ter deficiências alimentares e sua saúde estará comprometida (podendo levá-lo à morte).


    Já de início é bom avisar: não adianta simplesmente arrancar a crosta, pois a Pevide é somente um sintoma de uma doença causada por um parasita que fica instalado no aparelho respiratório do animal. A Pevide é apenas  a "ponta do iceberg".
    Muitos criadores explicam que "curaram" a Pevide de seus Trincas arrancando a ponta da língua dos mesmos.


    Isso é uma ignorância sem tamanho, que deve ser abolida entre os trinqueiros. Submeter o animal a esta mutilação é um desconhecimento generalizado (e uma maneira de fazer a ave sofrer).


    Recomenda-se levar o animal a um veterinário especializado em aves silvestres, para que possa diagnosticar, de fato, a Pevide. O especialista irá prescrever polivitamínicos para que o pássaro seja suprido em suas necessidades nutricionais (uma vez que o Trinca acometido de Pevide tem dificuldades em se alimentar). 
    Depois, o veterinário irá prescrever um tratamento com vermífugo. Este tratamento (de vermifugação) irá acontecer de maneira gradativa, pois há risco de vida para o Trinca se o verme morrer dentro de seu aparelho respiratório.
    Por último (depois de tratada a origem do problema) o criador irá se preocupar em - finalmente - arrancar a Pevide. A retirada da Pevide em hora errada pode acarretar em sangramento e dor forte. Já a retirada no momento certo (por uma pessoa experiente) será simples e indolor. Este procedimento (de retirada da Pevide) pode ser feito por um criador que já tenha feito isso em ocasiões anteriores.


    O momento bom para a retirada da crosta é quando a língua do Trinca estiver com coloração amarelada. Esta é a hora de realizar o procedimento.


    Depois que a Pevide for retirada, o criador deve permanecer oferecendo abundância de alimentos macios ao seu pássaro. Também é importante que ele receba uma dieta rica em proteínas (ex: larvas de tenébrio, grilos e farinhadas com ovo).




    CASCA NOS PÉS E NAS PERNAS




    Aparecem sob a forma de cascas, parecendo uma bota ou cobertura, que cobre os dedos e toda a canela do trinca, dificultando a articulação, e pode levar à atrofia e à paralisia dos movimentos do pé.
    É provocada por ataque de ácaros e pela falta de higiene e de banho. Quando é muito grave, chega a forçar e prender a movimentação da anilha, que terá que ser retirado imediatamente para evitar-se a gangrana.
    Como prevença deve-se manter a gaiola o mais limpa possível, notadamente os poleiros, e propiciar condições para que o trinca tome banho todos os dias.


    se vc quiser pode procurar um veterinario para analisar e tratar o problema 
    mais se quiser fazer em casa vc pode fazer  o seguinte procedimento: colocar o trinca no contentor e banhar em água morna os pés e as canelas, para amolecer as cascas. Após isso, passar pomada que contenha bastante óleo e friccionar levemente com os dedos as áreas atingidas, até que as cascas se desprenda. Tomar todo o cuidado para não forçar e na pressa arrancar a pele, já q iniciou esse procedimento tbm aproveite  e ja de uma olhada nas unhas do trinca , corte as unhas, se for necessário.



    PEITO SECO




    Peito seco não é propriamente uma doença, é sim, um sintoma.
    A perda de massa corporal indica a incapacidade do organismo para aproveitar os nutrientes ingeridos. 


    Causas:  Várias são as causas possíveis, a mais comum é a coccidiose. Também as verminoses mais significativas poderão levar a perda de massa corporal.


    Sintomas: A perda de massa corporal faz com que o osso do peito do pássaro tome a forma de facão. Esse é um sintoma apresentado em um estagio avançado da doença. Um criador atento a seu trinca perceberá alterações de comportamento, apetite, disposição e volume de ingestão de líquidos muito antes do peito secar.


    Tratamento: É altamente indicado um exame de fezes para definir o diagnostico e determinar o tratamento

    ( ao sinal de peito seco corra pro veterinário especializado)

    Prevenção:  boa Higienização, equilíbrio da dieta,  e observar o trinca, procurando identificar possíveis problemas sanitários antes que se configure o peito seco.






    ROUQUIDÃO:







    Outro problema que acomete os Trinca Ferros é a rouquidão. Ela pode acontecer por algumas diferentes razões e o tratamento para cada uma delas é bastante diferente.
    Pode ser que o Trinca Ferro esteja rouco por ter pego um resfriado. Gaiolas que ficam em lugares com corrente de vento podem fazer com que a ave fique resfriada. Mudanças bruscas de ambiente (tirar o Trinca de casa em um dia frio) também podem causar o mesmo efeito.


    Este tipo de rouquidão pode ser tratada de maneira mais simples, com produtos naturais e uma atenção especial para o local onde a ave irá se recuperar. Recomenda-se encapar o Trinca, mantê-lo em um lugar aquecido e oferecer chá de Romã na água de beber.


    Mas o Trinca Ferro pode ficar rouco por causa de parasitas. Estes vermes ficam instalados no aparelho respiratório da ave, impedindo ela de respirar e cantar direito. Neste caso, recomenda-se levar a ave a um veterinário, para que ele possa diagnosticar, de fato, a origem da enfermidade. Caso queira correr o risco de realizar um tratamento particular (sem supervisão médica) o criador pode adquirir produtos como Tylotrat, Nalyt, Tylan, Allax ou Ivomec. No caso, o passarinheiro terá de optar por um dos medicamentos citados; deverá observar as informações de bula e seguir as orientações da mesma.



    CORIZA





    Oque pode causar a coriza é : bruscas mudanças na temperatura , trinca em locais úmidos(pisos ou paredes), aves mal alimentadas, falta de vitamina C. os sintomas podem ser : desde secreção aquosa nos olhos e narinas.
     as narinas ficam completamente obstruídas. Os olhos, em virtude da infecção, ficam inflamados e a ave pode perder a visão.

    Tratamento: se quiser pode procurar  um veterinário para tratamento  ou deixe o trinca dentro de casa em local aonde nao pegue rajadas de vento , não havendo melhorar nele , procure um veterinário .






    ÁCAROS DE TRAQUÉIA




    Os Acáros de Traquéia são pequenos parasitas, que podem ser vistos até mesmo à olho nu ou com auxílio de uma lupa. Irritam a mucosa das àreas que atacam tais como: traquéia, pulmões, sacos aéreos, chegando mesmo à atingir os ossos pneumáticos. Eles ao atacarem essas àreas nas quais se instalam, produzem lesões pois, alimentam-se de sangue, causando patologias por si só e abrindo caminho para infecções por bactérias, vírus, fungos e mycoplasmas oportunistas.



    Quando á incidência desse problema deve-se melhorar o sistema de ventilação pois, com uma melhor ventilação, melhoramos a  circulação de ar eliminando partículas em suspensão no ar do criadouro. Os ácaros em um criadouro podem ser trazidos por trincas ou outros pássaros novas introduzidas  e que não tenham sido submetidas à quarentena em ambiente separado do criadouro ou por correntes de ar mal distribuídas ou podem existir naturalmente no ambiente, onde alimentam-se de detritos e de maneira oportunista, podendo infectar os trincas. Um excesso de população também pode levar à problemas de má qualidade do ar pois, aumenta a quantidade de partículas em suspensão no ar do criadouro. 



    OS PRINCIPAIS SINTOMAS SÃO: 




    Dificuldade respiratória. 


    Tosse e o trinca emite sons como gemidos, dando a impressão que está engasgada. 
    o trinca perde a voz. 


    o trinca abre muito o bico e o limpa constantemente no poleiro. 
    Em casos de infestação extrema pode ocorrer a morte da ave por asfixia mecânica.



    As formas de se evitar esse tipo de "inimigo" da saúde nossos trincas são: 

    Um bom manejo higiênico do criadouro. 
    Quarentena de novos trincas ou outro pássaros . 
    Aplicação de produto preventivo , Boa ventilação e renovação do ar, mas, sem correntes de ar passando diretamente pelas gaiolas, pois, essas correntes podem carregar ácaros e outros agentes infectantes. 


    Isolamento de trincas ou outros pássaros  infestadas do ambiente do criadouro, aliás, para qualquer doença deve-se retirar o indivíduo do criadouro. 
    Eliminação das aves mortas
    É possível que a água de bebida seja uma fonte de infestação, portanto, temos que ter cuidado com a higiene dos bebedouros.



    ÁCAROS DAS PENAS





    Em ambiente natural é comum a presença de alguns piolhos brancos/amarelados, que, normalmente não são visíveis, sendo residentes naturais, que são até benéficos para os trincas, pois removem células mortas das penas e pele e até determinadas bactérias. Quando a higiene é relaxada no criatório, o acumulo de sujeira e de fezes formam o ambiente propício para o desenvolvimento de uma superpopulação de parasitas que passam a incomodar o trinca.


    Há casos, inclusive de fêmeas que abandonam o choco por se sentirem incomodadas, embora esses piolhos não se alimentem do sangue dos pássaros. As reinfestações podem acontecer a qualquer momento. Pardais e outros pássaros contribuem para o ressurgimento de novos focos.

    Sintomas: O trinca  passa a se coçar seguidamente ficando inquieto na gaiola. As cerdas ficam com aspecto "roído", quebradas, imperfeitas e sem brilho. Dependendo da quantidade de ácaros, podem comprometer o vôo. 


    Prevenção: Além da higiene, use 4 ou 5 gotas de vinagre de maçã na água do banho ajudam a manter os parasitas longe. Pulverizações quinzenais com o produto Plumas Kleen (retire todo os potes de alimentação da gaiola , osso de siba , pedra calcio e tbm o bebedor ) mantém os piolhos e outros parasitas longe dos pássaros, funcionando, ainda como repelente de insetos.



    OBESIDADE:


    Trincas ficam gordos quando não tem espaço suficiente para se exercitarem ou quando ingerem alimento em excesso (ou alimentos gordurosos em grandes quantidades). Nestes casos, recomeda-se oferecer uma gaiola maior ao Trinca Ferro (ou colocá-lo em uma voadeira ou em um viveiro).


    Muitos criadores mantém seus Trincas em gaiolas com as mesmas medidas das gaiolas de torneios, este espaço não é suficiente para a vida diária do animal. São boas para torneios porque seu tamanho diminuto permite um contato visual constante com as aves adversárias; mas são muito pequenas para servirem de moradia do pássaro.


    O criador também deve ter uma atenção especial para com a alimentação do Trinca Ferro. Recomenda-se utilizar as Rações Extrusadas (por serem naturalmente equilibradas) e oferecer farinhadas somente em um dia da semana (pois as mesmas ingeridas em excesso podem deixar a ave gorda).



    OUTRAS DICAS :




    Há muitos outros sintomas que indicam que um trinca está doente. Para isso, o criador deverá observar o trinca constantemente. O melhor preventivo é o olho do dono! Veja alguns sintomas que devem deixá-lo em sinal de alerta e procure por um veterinário se observar algum deles em seu trinca ferro .



    - Trinca ferro      quieto, sem disposição, em um canto da gaiola ou no fundo da mesma.
    - Trinca ferro    que não come
    - Trinca ferro    que bebe muita água
    - Trinca ferro     que está muito magro
    - Trinca ferro    que passa o dia respirando com o bico aberto
    - Trinca ferro    que emite chiados enquanto respira
    -  Trinca ferro    que sempre dorme apoiado nas duas pernas




    OBSERVANDO SUAS AVES TODOS OS DIAS VOCÊ PODE NOTAR COMPORTAMENTOS ESTRANHOS E EVITAR QUE MUITAS DAS DOENÇAS DE AGRAVEM






    É isso  pessoal  espero que tenham gostado do que foi falado ali em cima  .    


    Examine sempre seus Pássaros e fique atento aos sinais , sintomas que podem acusar alguma doença ! Sucesso na criação ! Vamos que vamos



      [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]



                                                                   


    [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
    Ir para o topo
    Permissão neste fórum:
    Você não pode responder aos tópicos