ANUNCIOS
Últimos assuntos
» Como femear azulão?
por Hellhammer Ontem à(s) 19:48

» Muda forçada
por MateusFerreira Ontem à(s) 19:41

» Muda forçada
por MateusFerreira Ontem à(s) 19:41

» Trinca só canta em casa
por Ericsongatto Ontem à(s) 16:38

» PERIQUITO DERRUBANDO COMEDOURO DE COMIDA!!
por Allan Diego Santos Lopes Ontem à(s) 16:06

» Aniversariantes do dia 30/04/2016 !
por CÉLIA MARIA CAYRES Ontem à(s) 15:44

» Canário belga com problemas nas penas
por CÉLIA MARIA CAYRES Ontem à(s) 14:54

» sabiá laranjeira
por CÉLIA MARIA CAYRES Ontem à(s) 14:49

» cade todo mundo?
por CÉLIA MARIA CAYRES Ontem à(s) 14:45

ANUNCIO
Guias para criação
CANAL YOUTUBE
PESQUISE SOBRE ESPECIES
AJUDA COM OUTROS ANIMAIS
ATUALIZAÇÕES
Loading...

AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por hiago em Sab 19 Mar - 13:22

GALERA SOU NA AREA E PRECISO DE AJUDA DE VOCES!


coloquei meu coleiro junto com a femea dele para os 2 se reproduzerem e tal!

colocava-os junto 3 veses ao dia para o coleiro galar a femea,

depois de 4 dias a femea pos um ovo , mais o ovo estava tipo sem casca só com uma pele emvolta da gema e alem disso ela botou fora do ninho!

alguem de voces poderiam me dar possiveis soluções para issu?

hiago
Passarinheiro Recente
Passarinheiro Recente

Mensagens : 14
Pontos : 24
Reputação : 0
Data de inscrição : 19/03/2011
Idade : 24
Localização : cachoeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por ENIVALDO em Sab 19 Mar - 14:12

Hiago

Isso é sintoma claro de carência de cálcio, e uma suplementação desse nutriente será suficiente para solucionar o problema.

Forneça uma boa fonte de cálcio aos seus canários, osso de ciba, farinha de ostra, existe medicamentos também pode Avintrin Cálcio fornecer conforme a bula assim o problema será solucionado.


Criar é uma arte e devemos fazer da melhor maneira possível 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

ENIVALDO
Membro de Honra
Membro de Honra

Mensagens : 6708
Pontos : 7656
Reputação : 556
Data de inscrição : 03/02/2011
Idade : 37
Localização : Belo Horizonte

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por hiago em Sab 19 Mar - 14:17

obrigado ai amigo, me disseram tbm que é bom por cascas de ovos para a femea,

queria saber outra coisa hoje ela pos o primeiro ovo o proximo deve vir em torno de 24horas

se eu colocar um pouco de areia, casca de ovo, osso de siba e até mesmo agua com 1 pouco de bicarbonato de sodio hoje até amanha os ovos delas poderam vir normais ja?

ou só na proxima ninhada?

grato!!

hiago
Passarinheiro Recente
Passarinheiro Recente

Mensagens : 14
Pontos : 24
Reputação : 0
Data de inscrição : 19/03/2011
Idade : 24
Localização : cachoeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por ENIVALDO em Sab 19 Mar - 14:57

Quase impossivel, por que o ovo já deve estar formado, se tiver que vim sem a casca ou com ela já esta formado, e também não existe tratamento que de resultados de um dia para o outro.

Você vai ter que preparar essa os passaros para a proxima temporada, para evitar que isso aconteça.

Depois poste ai o resultado.


Criar é uma arte e devemos fazer da melhor maneira possível 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

ENIVALDO
Membro de Honra
Membro de Honra

Mensagens : 6708
Pontos : 7656
Reputação : 556
Data de inscrição : 03/02/2011
Idade : 37
Localização : Belo Horizonte

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por edmilso em Sab 19 Mar - 21:02

hiago eu dou pros meus casca de ovo + antes eu lavo


Edmilso [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

edmilso
Passarinheiro Junior
Passarinheiro Junior

Mensagens : 170
Pontos : 226
Reputação : 0
Data de inscrição : 04/01/2011
Idade : 43
Localização : São Vicente / SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por NetoBarbosa em Dom 20 Mar - 15:44

Tambem do casca de ovo 1 ves por semana é certo?


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Me comparo aos pássaros, ora livres, ora presos, mas sempre cantando.

NetoBarbosa
Passarinheiro Junior
Passarinheiro Junior

Mensagens : 172
Pontos : 263
Reputação : 4
Data de inscrição : 08/12/2010
Idade : 22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por José Antonio em Dom 20 Mar - 21:03

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] escreveu:Tambem do casca de ovo 1 ves por semana é certo?
Se na gaiola tiver osso de siba e grit mineral,a casca de ovo não é necessária.Porém se não tiver,a casca de ovo se torna imprescindível.
Devo salientar que,a casca de ovo não substitui o grit,pois sem o grit ela não conseguira triturar com eficácia a casca em sua moela.

José Antonio
Membro de Honra
Membro de Honra

Mensagens : 3171
Pontos : 3447
Reputação : 116
Data de inscrição : 08/12/2010
Idade : 33
Localização : Pariquera-Açú (Vale do Ribeira-SP)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por edmilso em Seg 21 Mar - 9:30

bem lembrado a ultimavez q comprei veio com sementes de erva doce


Edmilso [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

edmilso
Passarinheiro Junior
Passarinheiro Junior

Mensagens : 170
Pontos : 226
Reputação : 0
Data de inscrição : 04/01/2011
Idade : 43
Localização : São Vicente / SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por Agenor B S Jr em Seg 21 Mar - 11:23

bom dia
estes passaros como qualquer outro nativo tem seu periodo reprodutivo entre os meses de agosto a fevereiro.
por isso deve-se respeitar o descanso merecido que se da entre março e julho. manter seus passaros fogosos e tentar reproduzir agora é no minimo forçar a natureza e trara problemas para a proxima temporada de reproduçao e atrapalhar a época certa de muda que se da entre março e abril. encape e alimente seus passaros com qualidade que se estiverem fortes em setembro se reproduzirao normalmente.

Agenor B S Jr
Moderador Silvestres
Moderador Silvestres

Mensagens : 1069
Pontos : 1219
Reputação : 80
Data de inscrição : 07/02/2011
Localização : sao paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por edmilso em Seg 21 Mar - 11:42

boa tarde agenor

segundo uma matéria q eu li na net vai de novembro a maio coinciddido com o periodo de chuva .


Edmilso [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

edmilso
Passarinheiro Junior
Passarinheiro Junior

Mensagens : 170
Pontos : 226
Reputação : 0
Data de inscrição : 04/01/2011
Idade : 43
Localização : São Vicente / SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por Agenor B S Jr em Seg 21 Mar - 11:49

ola
quem escreve sobre passaros muitas vezes se aquivocam
sera que nao ja esta frio para se criar e ainda estamos em março
meus passaros todos os anos no final de fevereiro ja começam a cair as penas, para que no frio de abril ja possam se esquentar.
imagine criar em maio hahahahaha so se tiver aquecedor, controlador de luminosidade e macho quente fora de época .
sera que vale a pena

Agenor B S Jr
Moderador Silvestres
Moderador Silvestres

Mensagens : 1069
Pontos : 1219
Reputação : 80
Data de inscrição : 07/02/2011
Localização : sao paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por edmilso em Seg 21 Mar - 11:57

eu tenho 1 em muda ,uotro cantando e a femea pedindo gala


Edmilso [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

edmilso
Passarinheiro Junior
Passarinheiro Junior

Mensagens : 170
Pontos : 226
Reputação : 0
Data de inscrição : 04/01/2011
Idade : 43
Localização : São Vicente / SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por edmilso em Seg 21 Mar - 12:00

Criação de Coleiro
Sporophila caerulescens, S. nigricollis, S. hellmayir.

PECULIARIDADES

O coleiro é tido como o pássaro mais sociável da fauna brasileira. Adora ser levado para passear pelo dono e é, geralmente, o primeiro pássaro que todo passarinheiro, ainda criança, teve. Por outro lado, é considerado um dos pássaros nativos de mais difícil reprodução em cativeiro, pois as fêmeas demoram a ceder ao instinto reprodutivo, sempre implicando com a presença dos machos. O criador de coleiro deve ser paciente e saber aguardar o momento certo para obter sucesso na criação.
Fato curioso na criação de coleiros é a intensa participação do macho nas diversas fases da reprodução, em especial no cuidado com os filhotes, chegando até mesmo a brigar com a fêmea pelo direito de alimenta-los.

LOCAL

Para criar o coleiro, as características exigidas do local são as mesmas dos outros nativos: local bem iluminado, se possível com luz direta pela manhã, sem grandes variações de temperatura entre o dia e a noite, abrigado das correntes fortes de ar, etc. Este pássaro pode ser reproduzido tanto em gaiolas como em viveiros, mas estes últimos são menos adequados por dificultarem o manejo de ovos e filhotes.
As gaiolas podem ser de metal ou madeira, à escolha do criador. As de madeira são mais difíceis de higienizar, exigindo maior trabalho para isso, mas por outro lado, parecem ser mais “aconchegantes” nas baixas temperaturas. As gaiolas ideais para as fêmeas (no caso de criação no sistema de poligamia – o macho só é colocado com a fêmea no momento da cópula) devem ter de 50 a 70 cm de comprimento, cerca de 30 a 40 cm de altura e profundidade. É recomendável que possuam a “divisória”, para facilitar o manejo com os pássaros. Para os machos, podem usados os tradicionais modelos “piracicaba” e “carioca”, em seus variados tamanhos.

MATRIZES E REPRODUTORES

O criador, quando da composição de seu plantel, deve optar por matrizes dóceis, acostumadas ao manejo (pássaros que se debatem quando são carregados dificultam o processo da reprodução) e também por pássaros de boas qualidades, para que os frutos da criação recompensem toda atenção dispensada.
São boas qualidades transmissíveis aos filhotes:
- a postura e a “beleza física”: procurar sempre trabalhar com pássaros esguios, “elegantes”, de bom porte e aparência saudável.
- a disposição para cantar: pode ser “medida” pela contagem do número de cantadas em um determinado tempo.
- o andamento do canto: pássaros de canto rápido são adequados à modalidade “fibra”, não sendo adequados como reprodutores se o objetivo da criação for o canto clássico.
- a voz: para o canto clássico, as melhores vozes são as intermediárias, nem muito altas, nem muito baixas.
Se o macho que se pretende usar como reprodutor cantar ao ver a fêmea,
melhor.

ALIMENTAÇÃO

O coleiro é um pássaro granívoro, não sendo grande apreciador de frutas e verduras. A base da alimentação é constituída por uma mistura de alpiste, painços variados, senha e níger, sendo o primeiro em maior quantidade (50% a 60%). Apreciam muito, como guloseimas, sementes de capim frescas, por exemplo, as de “pé de galinha”, colonião, braquiara, margoso, favorito, entre outros. Os cachos podem ser colhidos e fornecidos inteiros aos pássaros. Essas são um bom complemento na alimentação, sobretudo na época de cria e trato dos filhotes. O pepino, se aceito, é um ótimo complemento alimentar pois é rico em colágeno, um importante componente dos tecidos de revestimento, conferindo elasticidade e resistência às penas, evitando que elas se quebrem facilmente e mantendo bonitas por mais tempo as penas originadas na muda mais recente.
Uma fonte de cálcio deve ser fornecida o ano todo, principalmente para as fêmeas, que utilizam grandes quantidades deste mineral na composição da casca dos ovos. A farinha de ostra ou o “osso de ciba” são as melhores alternativas para o fornecimento de cálcio. É aconselhável ministrar polivitamínico e um complexo de aminoácidos na água algumas vezes por semana.
Coleiros também apreciam muito farinhadas, que podem ser fornecidas secas ou umedecidas misturadas com ovo cozido floculado (passado pela peneira), e estas constituem uma grande fonte de proteínas, indispensáveis aos períodos de muda de penas e alimentação dos filhotes.
A atenção máxima deve ser dada à alimentação no período em que as fêmeas estão tratando de suas ninhadas. Elas, que em sua maioria geralmente não apreciam alimentos vivos, nesse período devoram grande quantidade de larvas de Tenebrio molitor ou de besouro do amendoim para alimentar suas crias. Essas larvas são uma grande fonte de proteína bruta, que contribui no rápido desenvolvimento dos ninhegos. A alimentação especialmente nesses dias deve ser abundante e diversificada, afim de estimular os pais a tratarem dos filhotes.

REPRODUÇÃO

A temporada de reprodução dos coleiros inicia-se e também termina mais tardiamente que a dos outros pássaros. Estima-se que a melhor época para cria-los seja de novembro a abril, período que coincide com a maior disponibilidade das sementes de seus capins preferidos, na natureza.
Os ninhos utilizados podem ser os de curió ou menores, pois fêmea irá preencher o espaço que “sobra” no ninho quando ela está deitada com o material oferecido pelo criador, que pode ser raiz de capim, corda de bacalhau (sisal) ou fibra de coco desfiadas. Convém fazer a camuflagem do ninho com plantas artificiais, que darão à fêmea uma sensação de maior proteção. Mas cuidado: o ninho deve ser camuflado e não “enfeitado”. Não precisa e nem é bom exagerar na camuflagem, pois isto pode, ao invés de atrair, afugentar a fêmea. Também não é necessário camuflar em volta do ninho todo. O importante é que a fêmea, na momento em que salta do poleiro para a borda do ninho, veja a camuflagem à sua frente, sendo que depois que a mesma está deitada, pouco importa se ela vê ou não a camuflagem – ela pensa que, comparando ao que ocorre na natureza, “entrou” na camuflagem e pode ver todo o ambiente ao seu redor, mas não pode ser vista.
Machos e fêmeas devem ser mantidos em confinamento visual durante o ano, sendo que as fêmeas podem ver-se somente durante a estação de descanso. Ao se aproximar o início da época de reprodução, as fêmeas devem ser transferidas para gaiolas individuais. A presença de muitos machos no recinto de criação acaba dificultando a mesma, já que as fêmeas de coleiro escolhem seu parceiro pelo do canto dele. Nesse sentido, o melhor é que elas ouçam um único macho, que é suficiente para cruzar até 5 ou 6 fêmeas, no sistema poligâmico.
O macho deverá ser colocado frente à gaiola de cada fêmea de uma a três vezes por dia durante alguns minutos, sendo que os melhores momentos para essa apresentação são o amanhecer e o entardecer. O criador deve observar a reação e o comportamento das fêmeas durante o momento em que estão vendo o macho. Geralmente as que vêm correndo para a tala da gaiola, com ar de interessadas, na verdade são as primeiras que hostilizam com a presença do macho em seu “território”, por isso se aproximam.
Disponibilizando material de ninho para as fêmeas fica mais fácil perceber quando estão ficando prontas para a reprodução (“aprontando”), embora o coleiro seja um pássaro que adora “brincar” com o material de ninho. Via de regra, as fêmeas estão prontas quando começam a rodar dentro do ninho e preenche-lo com o material fornecido. É a partir deste momento que, ao verem o macho, irão abaixar, solicitando cópula. O macho, então, será introduzido na gaiola da fêmea, e caso esta ainda não aceite a cruza, deve ser induzido a voltar à sua gaiola. Novas tentativas podem ser feitas posteriormente. O criador deve ter a paciência necessária para esperar que a fêmea aceite o macho. Uma vez que ela aceite ser cruzada, uma única cruza é suficiente, mas podem ser realizadas algumas mais. Costumam efetuar a postura entre o 2º e o 4º dia depois de cruzadas. O número de ovos pode chegar a três, sendo quase sempre dois.
É comum fêmeas que são ótimas mães numa temporada, na próxima apresentarem problemas, como abandonar o ninho, botar fora, botar no ninho mas não chocar, etc. Nas temporadas seguintes essas fêmeas costumam voltar a ser boas matrizes. Pouco se sabe sobre o comportamento reprodutivo das fêmeas de coleiro, portanto é preciso persistência e paciência.
Os filhotes nascem com cerca 13 dias de choco e podem ser anilhados do 4º ao 6º dia, dependendo do desenvolvimento da ninhada. Voam do ninho por volta do décimo quinto dia. A fase seguinte, de vetorização, que vai aproximadamente do 15º ao 30º dia de vida, é muito importante na formação do filhote macho, uma vez que este irá “memorizar” o canto que ouvir para reproduzi-lo mais tarde, criando o que chamamos de memória sonográfica. Os coleiros podem ser separados da mãe por volta dos 35-40 dias de vida, quando já deverão estar se alimentando sozinhos. Se a fêmea, no entanto, der sinais de que quer fazer nova postura antes que os filhotes se alimentem sozinhos (se houver escassez de material para preparar o novo ninho a fêmea irá depena-los para forra-lo), convém mantê-los separados da mãe pela grade divisória para que estes não atrapalhem-na na nova chocada. A fêmea irá continuar a alimenta-los pelos buracos da grade enquanto efetua nova postura. O criador deverá observar com freqüência os filhotes, e quando estes começarem a alimentar-se sozinhos, deve transferi-los para uma gaiola maior, na qual possam voar bastante e assim adquirir um bom condicionamento físico.
Os filhotes de coleiro começam a gorjear bem cedo, tentando reproduzir o canto que ouviram na fase de vetorização. A partir do primeiro mês de vida irão começar a cantar com um pouco mais de volume e desenvoltura, tentando reproduzir aquilo que está em sua memória sonográfica, porém este gorjeado será sem frases bem definidas. Essa período é chamada de fase de espelhamento, pois nela o pássaro irá fazer aperfeiçoamentos do gorjeado que emite, comparando-o com os cantos que ouve no ambiente onde se encontra. É durante essa fase que fazem a primeira muda, que é parcial e chamada de muda de ninho, ou muda de filhote, onde os filhotes machos irão adquirir suas primeiras marcações características da plumagem. As notas e frases começam a ganhar clareza e definição por volta do sexto mês de vida, a partir do qual os coleiros começam a emitir aquele que será seu canto definitivo.
Atingem a maturidade sexual por volta dos 11 ou 12 meses, mas a pouca idade faz com que, geralmente, não sejam bons pais e boas mães. Convém utilizar para reprodução coleiros com um ano e meio ou dois de idade.




espero q esta matéria tire todas as duvidas eq possa ajudar


Edmilso [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

edmilso
Passarinheiro Junior
Passarinheiro Junior

Mensagens : 170
Pontos : 226
Reputação : 0
Data de inscrição : 04/01/2011
Idade : 43
Localização : São Vicente / SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por felipe.araujo22 em Qua 25 Maio - 10:53

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] escreveu:Criação de Coleiro
Sporophila caerulescens, S. nigricollis, S. hellmayir.

PECULIARIDADES

O coleiro é tido como o pássaro mais sociável da fauna brasileira. Adora ser levado para passear pelo dono e é, geralmente, o primeiro pássaro que todo passarinheiro, ainda criança, teve. Por outro lado, é considerado um dos pássaros nativos de mais difícil reprodução em cativeiro, pois as fêmeas demoram a ceder ao instinto reprodutivo, sempre implicando com a presença dos machos. O criador de coleiro deve ser paciente e saber aguardar o momento certo para obter sucesso na criação.
Fato curioso na criação de coleiros é a intensa participação do macho nas diversas fases da reprodução, em especial no cuidado com os filhotes, chegando até mesmo a brigar com a fêmea pelo direito de alimenta-los.

LOCAL

Para criar o coleiro, as características exigidas do local são as mesmas dos outros nativos: local bem iluminado, se possível com luz direta pela manhã, sem grandes variações de temperatura entre o dia e a noite, abrigado das correntes fortes de ar, etc. Este pássaro pode ser reproduzido tanto em gaiolas como em viveiros, mas estes últimos são menos adequados por dificultarem o manejo de ovos e filhotes.
As gaiolas podem ser de metal ou madeira, à escolha do criador. As de madeira são mais difíceis de higienizar, exigindo maior trabalho para isso, mas por outro lado, parecem ser mais “aconchegantes” nas baixas temperaturas. As gaiolas ideais para as fêmeas (no caso de criação no sistema de poligamia – o macho só é colocado com a fêmea no momento da cópula) devem ter de 50 a 70 cm de comprimento, cerca de 30 a 40 cm de altura e profundidade. É recomendável que possuam a “divisória”, para facilitar o manejo com os pássaros. Para os machos, podem usados os tradicionais modelos “piracicaba” e “carioca”, em seus variados tamanhos.

MATRIZES E REPRODUTORES

O criador, quando da composição de seu plantel, deve optar por matrizes dóceis, acostumadas ao manejo (pássaros que se debatem quando são carregados dificultam o processo da reprodução) e também por pássaros de boas qualidades, para que os frutos da criação recompensem toda atenção dispensada.
São boas qualidades transmissíveis aos filhotes:
- a postura e a “beleza física”: procurar sempre trabalhar com pássaros esguios, “elegantes”, de bom porte e aparência saudável.
- a disposição para cantar: pode ser “medida” pela contagem do número de cantadas em um determinado tempo.
- o andamento do canto: pássaros de canto rápido são adequados à modalidade “fibra”, não sendo adequados como reprodutores se o objetivo da criação for o canto clássico.
- a voz: para o canto clássico, as melhores vozes são as intermediárias, nem muito altas, nem muito baixas.
Se o macho que se pretende usar como reprodutor cantar ao ver a fêmea,
melhor.

ALIMENTAÇÃO

O coleiro é um pássaro granívoro, não sendo grande apreciador de frutas e verduras. A base da alimentação é constituída por uma mistura de alpiste, painços variados, senha e níger, sendo o primeiro em maior quantidade (50% a 60%). Apreciam muito, como guloseimas, sementes de capim frescas, por exemplo, as de “pé de galinha”, colonião, braquiara, margoso, favorito, entre outros. Os cachos podem ser colhidos e fornecidos inteiros aos pássaros. Essas são um bom complemento na alimentação, sobretudo na época de cria e trato dos filhotes. O pepino, se aceito, é um ótimo complemento alimentar pois é rico em colágeno, um importante componente dos tecidos de revestimento, conferindo elasticidade e resistência às penas, evitando que elas se quebrem facilmente e mantendo bonitas por mais tempo as penas originadas na muda mais recente.
Uma fonte de cálcio deve ser fornecida o ano todo, principalmente para as fêmeas, que utilizam grandes quantidades deste mineral na composição da casca dos ovos. A farinha de ostra ou o “osso de ciba” são as melhores alternativas para o fornecimento de cálcio. É aconselhável ministrar polivitamínico e um complexo de aminoácidos na água algumas vezes por semana.
Coleiros também apreciam muito farinhadas, que podem ser fornecidas secas ou umedecidas misturadas com ovo cozido floculado (passado pela peneira), e estas constituem uma grande fonte de proteínas, indispensáveis aos períodos de muda de penas e alimentação dos filhotes.
A atenção máxima deve ser dada à alimentação no período em que as fêmeas estão tratando de suas ninhadas. Elas, que em sua maioria geralmente não apreciam alimentos vivos, nesse período devoram grande quantidade de larvas de Tenebrio molitor ou de besouro do amendoim para alimentar suas crias. Essas larvas são uma grande fonte de proteína bruta, que contribui no rápido desenvolvimento dos ninhegos. A alimentação especialmente nesses dias deve ser abundante e diversificada, afim de estimular os pais a tratarem dos filhotes.

REPRODUÇÃO

A temporada de reprodução dos coleiros inicia-se e também termina mais tardiamente que a dos outros pássaros. Estima-se que a melhor época para cria-los seja de novembro a abril, período que coincide com a maior disponibilidade das sementes de seus capins preferidos, na natureza.
Os ninhos utilizados podem ser os de curió ou menores, pois fêmea irá preencher o espaço que “sobra” no ninho quando ela está deitada com o material oferecido pelo criador, que pode ser raiz de capim, corda de bacalhau (sisal) ou fibra de coco desfiadas. Convém fazer a camuflagem do ninho com plantas artificiais, que darão à fêmea uma sensação de maior proteção. Mas cuidado: o ninho deve ser camuflado e não “enfeitado”. Não precisa e nem é bom exagerar na camuflagem, pois isto pode, ao invés de atrair, afugentar a fêmea. Também não é necessário camuflar em volta do ninho todo. O importante é que a fêmea, na momento em que salta do poleiro para a borda do ninho, veja a camuflagem à sua frente, sendo que depois que a mesma está deitada, pouco importa se ela vê ou não a camuflagem – ela pensa que, comparando ao que ocorre na natureza, “entrou” na camuflagem e pode ver todo o ambiente ao seu redor, mas não pode ser vista.
Machos e fêmeas devem ser mantidos em confinamento visual durante o ano, sendo que as fêmeas podem ver-se somente durante a estação de descanso. Ao se aproximar o início da época de reprodução, as fêmeas devem ser transferidas para gaiolas individuais. A presença de muitos machos no recinto de criação acaba dificultando a mesma, já que as fêmeas de coleiro escolhem seu parceiro pelo do canto dele. Nesse sentido, o melhor é que elas ouçam um único macho, que é suficiente para cruzar até 5 ou 6 fêmeas, no sistema poligâmico.
O macho deverá ser colocado frente à gaiola de cada fêmea de uma a três vezes por dia durante alguns minutos, sendo que os melhores momentos para essa apresentação são o amanhecer e o entardecer. O criador deve observar a reação e o comportamento das fêmeas durante o momento em que estão vendo o macho. Geralmente as que vêm correndo para a tala da gaiola, com ar de interessadas, na verdade são as primeiras que hostilizam com a presença do macho em seu “território”, por isso se aproximam.
Disponibilizando material de ninho para as fêmeas fica mais fácil perceber quando estão ficando prontas para a reprodução (“aprontando”), embora o coleiro seja um pássaro que adora “brincar” com o material de ninho. Via de regra, as fêmeas estão prontas quando começam a rodar dentro do ninho e preenche-lo com o material fornecido. É a partir deste momento que, ao verem o macho, irão abaixar, solicitando cópula. O macho, então, será introduzido na gaiola da fêmea, e caso esta ainda não aceite a cruza, deve ser induzido a voltar à sua gaiola. Novas tentativas podem ser feitas posteriormente. O criador deve ter a paciência necessária para esperar que a fêmea aceite o macho. Uma vez que ela aceite ser cruzada, uma única cruza é suficiente, mas podem ser realizadas algumas mais. Costumam efetuar a postura entre o 2º e o 4º dia depois de cruzadas. O número de ovos pode chegar a três, sendo quase sempre dois.
É comum fêmeas que são ótimas mães numa temporada, na próxima apresentarem problemas, como abandonar o ninho, botar fora, botar no ninho mas não chocar, etc. Nas temporadas seguintes essas fêmeas costumam voltar a ser boas matrizes. Pouco se sabe sobre o comportamento reprodutivo das fêmeas de coleiro, portanto é preciso persistência e paciência.
Os filhotes nascem com cerca 13 dias de choco e podem ser anilhados do 4º ao 6º dia, dependendo do desenvolvimento da ninhada. Voam do ninho por volta do décimo quinto dia. A fase seguinte, de vetorização, que vai aproximadamente do 15º ao 30º dia de vida, é muito importante na formação do filhote macho, uma vez que este irá “memorizar” o canto que ouvir para reproduzi-lo mais tarde, criando o que chamamos de memória sonográfica. Os coleiros podem ser separados da mãe por volta dos 35-40 dias de vida, quando já deverão estar se alimentando sozinhos. Se a fêmea, no entanto, der sinais de que quer fazer nova postura antes que os filhotes se alimentem sozinhos (se houver escassez de material para preparar o novo ninho a fêmea irá depena-los para forra-lo), convém mantê-los separados da mãe pela grade divisória para que estes não atrapalhem-na na nova chocada. A fêmea irá continuar a alimenta-los pelos buracos da grade enquanto efetua nova postura. O criador deverá observar com freqüência os filhotes, e quando estes começarem a alimentar-se sozinhos, deve transferi-los para uma gaiola maior, na qual possam voar bastante e assim adquirir um bom condicionamento físico.
Os filhotes de coleiro começam a gorjear bem cedo, tentando reproduzir o canto que ouviram na fase de vetorização. A partir do primeiro mês de vida irão começar a cantar com um pouco mais de volume e desenvoltura, tentando reproduzir aquilo que está em sua memória sonográfica, porém este gorjeado será sem frases bem definidas. Essa período é chamada de fase de espelhamento, pois nela o pássaro irá fazer aperfeiçoamentos do gorjeado que emite, comparando-o com os cantos que ouve no ambiente onde se encontra. É durante essa fase que fazem a primeira muda, que é parcial e chamada de muda de ninho, ou muda de filhote, onde os filhotes machos irão adquirir suas primeiras marcações características da plumagem. As notas e frases começam a ganhar clareza e definição por volta do sexto mês de vida, a partir do qual os coleiros começam a emitir aquele que será seu canto definitivo.
Atingem a maturidade sexual por volta dos 11 ou 12 meses, mas a pouca idade faz com que, geralmente, não sejam bons pais e boas mães. Convém utilizar para reprodução coleiros com um ano e meio ou dois de idade.




espero q esta matéria tire todas as duvidas eq possa ajudar


Felipe Araújo
Criador de Coleiros

felipe.araujo22
Passarinheiro Recente
Passarinheiro Recente

Mensagens : 2
Pontos : 2
Reputação : 0
Data de inscrição : 14/04/2011
Idade : 30
Localização : Niteroi,RJ

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por Vitor Hugo Santos em Qui 28 Jun - 15:02

Essa materia e show de bola principalmente para mim que esse ano vou iniciar minha primeira tentativa de reprodução !!!!!


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Vitor Hugo Santos
Passarinheiro Junior
Passarinheiro Junior

Mensagens : 137
Pontos : 224
Reputação : 0
Data de inscrição : 08/12/2010
Idade : 28
Localização : Mangueira / São Cristovão / RJ

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por RODRIGOFZ em Qui 28 Jun - 15:26

Grande vitor sumido Amigo bom velo de novo no forum tenha um bom retorno!

RODRIGOFZ
Membro de Honra
Membro de Honra

Mensagens : 7597
Pontos : 8775
Reputação : 561
Data de inscrição : 15/06/2011
Idade : 29
Localização : bahia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por Vitor Hugo Santos em Qui 28 Jun - 15:51

Esse forum como sempre nos ajuda quando não sabemos e nos instrui mais ainda para nos aprimorarmos ..

parabens ... muito bom!!


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Vitor Hugo Santos
Passarinheiro Junior
Passarinheiro Junior

Mensagens : 137
Pontos : 224
Reputação : 0
Data de inscrição : 08/12/2010
Idade : 28
Localização : Mangueira / São Cristovão / RJ

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por Adair Frassao em Qui 28 Jun - 19:04

AMIGO VITOR, forneça a sua fêmea avitrin cálcio, ou outra fonte de cálcio que você possua. Na minha criação forneço para meus pássaros junto na farinha cálcio de ostra em pó, na porção de 50 gr para 500 gr de farinhada (reprodução) após diminuo, forneço também casca de ovo bem secada no microondas ou no sol, inteira mesmo, eles se divertem retirando pedaços da casca de ovo, o importante é secar bem para evitar a salmonella. Espero ter ajudado, isto acontecia aqui em minha criação com as fêmeas de canário belga, após esta mistura nunca mais tive problema.

Adair Frassao
Passarinheiro Recente
Passarinheiro Recente

Mensagens : 8
Pontos : 8
Reputação : 0
Data de inscrição : 20/06/2012
Idade : 40
Localização : sao miguel do iguaçu - parana

http://criadourofrassonfrassao.webnode.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por Vitor Hugo Santos em Sex 29 Jun - 8:54

Meu amigo obrigado pelas dicas .... mais to pensando em usar Nalyt Reprodução vi algumas recomendações e disse que o produto ajuda muito tanto o Macho como a femea para usar antes das posturas ... o

o que voces podem me informar deste produto ( Nalyt Reprodução ) ?


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Vitor Hugo Santos
Passarinheiro Junior
Passarinheiro Junior

Mensagens : 137
Pontos : 224
Reputação : 0
Data de inscrição : 08/12/2010
Idade : 28
Localização : Mangueira / São Cristovão / RJ

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AJUDA COM REPRODUÇÃO DE COLEIROS!!!

Mensagem por Adair Frassao em Sab 30 Jun - 18:29

amigo VITOR, nunca usei Nalyt Reprodução, já usei Nalyt plus como substituto do 100 PS, atingi os mesmos objetivos. Quanto ao Nalyt Reprodução fico te devendo, mais irei me informar se descobrir algo lhe comunico.

Adair Frassao
Passarinheiro Recente
Passarinheiro Recente

Mensagens : 8
Pontos : 8
Reputação : 0
Data de inscrição : 20/06/2012
Idade : 40
Localização : sao miguel do iguaçu - parana

http://criadourofrassonfrassao.webnode.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum