Últimos assuntos
» Peito Seco
Hoje à(s) 21:27 por João Pereira

» Macete para estimular o pássaro a tomar banho
Hoje à(s) 21:26 por José Bittencourt Maia

» REGISTRO DO IBAMA
Hoje à(s) 21:02 por João Pereira

» Respostas sumindo.
Hoje à(s) 21:00 por João Pereira

» gaiolas criadeiras de trinca ferro
Hoje à(s) 20:57 por João Pereira

» Áudio Ana Dias
Hoje à(s) 19:52 por stenio frota

» SORTE OU AZAR
Hoje à(s) 19:18 por Jeferson Andrade

» Criadores Do RN
Hoje à(s) 19:11 por allanprizy

» meu coleiro
Hoje à(s) 18:46 por narutocr

» Canário com os pés escamados, bem feio
Hoje à(s) 18:35 por José Bittencourt Maia

» Trinca estreando na roda.Como proceder?
Hoje à(s) 16:50 por HUGO WATSON

»  Video de casal de trinca ferro
Hoje à(s) 16:38 por Edejailton33

» alimentaçao
Hoje à(s) 16:25 por HUGO WATSON

» Casal solto
Hoje à(s) 16:20 por HUGO WATSON

» Como saber?
Hoje à(s) 16:16 por HUGO WATSON

Parceiros
Votação

QUAL O MELHOR CANTO PRA ENCARTAR COLEIRO

 
 
 
 
 
 
 
 

Exibir resultados

Conheçam o Criadores Espécies
Conheçam o Criadores Espécies

Acasalamento de Coleiros!

Página 1 de 4 1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Acasalamento de Coleiros!

Mensagem por Convidad em Dom 13 Mar - 23:14

ACASALAMENTO DE COLEIROS

Manejo de coleiros - Parte 1
Amigos;
No decorrer das últimas semanas pude observar uma enxurrada de
perguntas sobre como aprontar um pássaro depois que ele sai da muda,
como fazer para um pássaro render mais em torneios ou puxadas, como
fazer um pássaro aceitar fêmea, etc, etc.... Vou tentar passar para
vocês abaixo um “básico” da criação de coleiros mas não vou dizer
quantas penas ele tem em cada asa, não vou dizer dizer como reproduzir
em cativeiro nem tampouco entrar em tamanhos de gaiola até porque existe
uma matéria nesse site de autoria do Aloísio que é formidável para
quem tenha as dúvidas sobre os assuntos acima. O que vou passar agora
são os tão falados macetes ou manejo correto como assim prefiro chamar.

Quem já criou outros pássaros bem sabe que os coleiros tem um jeito
todo especial para aprontar. Alguns pássaros aprontam sozinhos, outros
nem mesmo param de cantar na muda mas com alguns coleiros é diferente. A
primeira recomendação que dou é a de não deixar os pássaros fazerem
muda em lugar escuro! Normalmente ouvimos que os pássaros em muda não
devem ser mexidos e que devemos deixa-los com capa e quietos em um
ambiente de penumbra e tal. Isso esta completamente errado! Na natureza
os pássaros em muda entram realmente em um tipo de recesso canóro e
procuram limitar suas atividades diárias mas isso não quer dizer que
virem estátuas e não interajam mais com o mundo a sua volta.
O pássaro deve fazer a muda em um local tranquilo, de preferencia sem
ouvir piados de fêmeas nem de outros machos que talvez estejam mais
prontos e possam perturbá-lo, mas esse local não deve ser escuro, muito
pelo contrario. Procure colocar o pássaro em uma gaiola maior para que
ele faça a muda, de preferencia a gaiolas mais compridas, tipo voador
para que o pássaro posso voar a vontade e se exercitar mais já que em
períodos de muda os pássaros tendem a engordar. Coloque-o em um local
arejado (arejado, não com correntes de ar) e claro. Sempre que possível
coloquem os pássaros no sol da manhã, isso despertará o pássaro e fará
com que o mesmo tenha logo de cara uma postura diferente de quando
estava no prego, sem contar que o sol é benéfico para a formação e
manutenção das penas e para os ossos do pássaro. Se houverem outros
cômodos tranquilos na casa procure variar de prego. Coloque o pássaro
alguns dias em um cômodo e alguns dias em outro. Isso servirá para
quebrar um pouco o tédio e a monotonia em que o pássaro se encontra
devido a muda. Lembrando que a monotonia é um dos fatores agravantes
para que o pássaro demore para voltar a cantar após a muda. Assim como
nós os pássaros tem quadros de stress e depressão e a simples troca de
pregos durante o periodo de muda normalmente evita que tais sintomas se
alonguem quando o pássaro terminar a mesma. Procure ministrar um
polivitamínico para o pássaro duas vezes por semana, nessa dose não
implicará em maiores problemas. Bom amigos, é um assunto longo e em
breve darei continuidade ao mesmo passando o manejo correto para o
período pós-muda dos coleiros.
Um abraço a todos;
Daniel Mendes (COLEIRISTACARIOCA)

Manejo de coleiros - Parte 2
Data da noticia :23/09/2004 Colunista : Daniel - Rio de Janeiro / RJ
Manejo de coleiros – Parte II
Amigos;
Vamos a segunda parte dessa matéria, o período pós-muda do pássaro.
Partindo do princípio que tudo que foi dito na matéria anterior foi
seguido, os pássaros sairam da muda sem maiores problemas ou
complicações e estam prontos para um manejo um pouco diferente do que
foi dado e ele na muda. É nessa época que surgem vários dos problemas
postados pelos amigos no grupo de discussão. Um dos erros primários
cometido por muitos é ter o seguinte pensamento : “Bom, meu pássaro já
saiu da muda e eu estou doido para puxá-lo. Então, vou dar fêmea pra ele
que ele vai voltar a cantar logo.” ERRADO! Na maioria dos casos isso
irá atrasar o pássaro ainda mais pois o mesmo ainda não está preparado
para ver fêmea. Tal procedimento pode acarretar em mudas repetidas,
falta de fibra e pássaros inconstantes. Estar com a muda seca, com as
penas certas e novas não quer dizer que ele já entrou em processo de
procurar um par. Para entender isso é só simularmos essa mesma situação
na natureza. O período de muda/recesso canóro é normalmente no
outono/inverno e o período de procura de par e reprodução é na
primavera/verão. Isso mostra claramente que existe um tempo até que o
pássaro volte a se interessar por fêmeas novamente. É óbvio que não será
necessário esperar 4 meses ou o fim de uma estação para que seu
pássaro aceite novamente fêmea já que em cativeiro as coisas andam um
pouco mais rápido, mas a idéia de aprontar o pássaro primeiro para
depois dar fêmea continua valendo. Outro erro comum é aquela velha
história de “dar uma talinha pra esquentar” ou seja, ficar esfregando o
pássaro em outro para ver se ele já esta com ordem. Em alguns casos,
dependendo do pássaro, talvez ele realmente já esteja com uma certa
ordem, mas podem ter certeza que ela nem se compara a ordem real que
ele pode ter depois de realmente pronto. Se coloquem na situação do
pássaro : Vocês estam vindo de um recesso de um ou dois meses, parados,
com momentos febris e de mal estar constante. De repente, sentem uma
leve melhora, mas ainda não estam seguros de si. Aí vem um cara e fica
te instigando para brigar com outro, e com outro, e com outro. Ninguem
aguenta! Pode parecer engraçado mas essa é a melhor maneira de
compreender uma coisa : O pássaro não é máquina! Não tem cordinha para
puxar! Tal procedimento pode acarretar em pássaros incostantes,
repetição de muda e falta de fibra. Percebem agora como nós mesmos
criamos a maioria dos problemas postados?
Agora é a hora de mexer com o seu pássaro de uma maneira que talvez ele
não seja mexido a alguns meses. Passeio, muito, mas muito passeio. E
nesse momento, é a única coisa a ser feita. Coleiros são conhecidos por
alguns passarinheiros aqui no Rio como “pássaro de criança” pois assim
como elas, gostam de rua, de bagunça, de baderna. Leve o pássaro para
ir comprar pão, quando for jogar uma bola leve-o a tira-colo e
pendure-o em uma arvore ou prego próximo, se for a casa de alguem e
puder, leve-o. Se tiver áreas com mato, pendões e pássaros soltos
próximos a sua casa então, melhor ainda. Leve-o lá, pendure-o, deixe
ele se sentir bem, deixe ele observar o ambiente a sua volta, ver os
pássaros soltos. Faça tais procedimentos diariamente, ou sempre que
puder. Com certeza absoluta, no decorrer de algumas semanas você verá
que seu pássaro estará com uma postura e uma fogosidade bem diferente. O
tempo vária de pássaro para pássaro, mas isso normalmente não leva
mais do que algumas semanas. Se o pássaro não for do tipo que aceite
fêmea, ele estará pronto no fim desse período/procedimentos. Caso ele
seja do tipo que apronta de vez com fêmea, ainda faltam alguns detelhes
a serem feitos. Bom, deixarei tais detalhes para a próxima matéria. Um
abraço a todos.

Manejo de coleiros - Parte 3

Data da noticia :20/10/2004 Colunista : Daniel - Rio de Janeiro / RJ Prezados,
Bom, como eu havia prometido, vai a última coluna que faltava para
fecharmos esse assunto interessante que é o manejo de coleiros. Acho que
talvez essa seja a coluna de maior valor, pois não vejo na internet e
nem em nenhuma revista especializada tais dicas nem nenhuma semelhante.
Já falei sobre o período de muda, falei sobre como manejar
corretamente o pássaro no pós-muda e vou terminar agora com um assunto
mais complexo e às vezes difícil até para mim que já “sofro” para
aprontar nossos amigos coleiros já tem um tempo. Como dar fêmea a um
pássaro para faze-lo render mais. É difícil mesmo gente, não há uma
fórmula correta, não a um jeito infalível, pois cada pássaro é um
pássaro, cada coleiro aceita ou não de um jeito peculiar e às vezes, o
que funcionava em um pássaro não irá funcionar para outro. Vou passar
pra vocês táticas que eu vi funcionar com pássaros de amigos meus e
algumas com meus próprios pássaros.
Primeiro de tudo: Só tentar qualquer uma das dicas abaixo após o
pássaro estar cantando por ele mesmo e com a muda seca. Porque? Por que
alguns pássaros podem desandar completamente se tiverem contato com
fêmeas quando ainda não estão no mínimo, semiprontos. Às vezes ficam
corridos, param de cantar, fazem repasse de muda ou até mesmo fazem a
muda toda de novo! Isso vale para todos os pássaros? Não...Alguns só de
ver a fêmea, mesmo estando em muda, se animam, se alertam e cantam. Mas
essas dicas não são para esses pássaros, são justamente para os
pássaros que tem um segredo, que tem aquele jeito todo chato e especial
para aprontar. Lembrando também que é recomendável que a fêmea esteja
senão pronta, semipronta pois de nada adianta colocar uma fêmea que não
macheie, que não voe com ordem, ou que ao menos não pie para levantar
coleiros.
Vamos as dicas: Coloque a fêmea em uma gaiola pequena, tipo a que
usamos para os coleiros machos. Coloque um ninho nessa gaiola e forneça
também sizal, fibra de coco ou barba de velho para que a fêmea tenha
com o que aninhar caso queira. Coloque a gaiola do macho acima da
gaiola da fêmea com os mesmo complementos que colocou na gaiola da
fêmea (com exceção do ninho. Alguns coleiros se assustam quando o ninho
é colocado na gaiola dele, olham meios desconfiados e alguns até
correm, esfriam assustados. Observe seu coleiro para ver se ele
aceitará o ninho em uma gaiola tão pequena), de maneira que ele não a
veja, somente a escute. O ideal é colocar um prego encima do outro e
colocar a gaiola do macho no prego de cima. Procure fazer isso em um
local claro, pois isso estimulará os pássaros a cantarem, piarem e
começarem a interagir. Não há tempo certo para deixa-los nessa posição.
Depende de coleiro para coleiro, a observação ira ajudar muito nesse
momento. Caso essa maneira não adiante se pode tentar encapar o macho,
encapar a fêmea ou encapar os dois.
Outro jeito que existe é colocar a gaiola da fêmea ao lado da gaiola do
macho. Tente colocar ele encapado e ela desencapada. Alguns coleiros
se animam e respondem bem ao ver a fêmea pela capa enquanto a mesma voa
em sua gaiola. Por isso é recomendável que a capa tanto dele quanto
dela seja de um tecido fino, que favoreça tal visualização. Caso isso
não adiante, inverta a capa e coloque nela e deixe-o desencapado. Por
último pode-se tentar encapar os dois. Um fato curioso: Em vez da capa
pode-se tentar colocar um compensado, um jornal ou o que seja entre eles
e fazer um furinho no meio. Isso mesmo! Um furinho. Existem coleiros
que gostam de ver a fêmea por esse furinho e ficam doidos. É engraçado
mas dá certo em alguns casos, um dos meus coleiros só apronta assim. O
furo deve ser do tamanho da unha do dedinho da mão mais ou menos. Uma
maneira também é colocar a gaiola da fêmea a uma distância de 4 ou 5
metros da do macho e encapar ela (com uma capa fina!!). O ideal é que de
onde ele fique tenha total visão da gaiola dela. Pode-se tentar deixar
ambos desencapados também, mas nesses casos, recomendo uma distância
inicial maior, talvez uns 6 metros e ir chegando mais perto dependendo
da reação do coleiro. Alguns coleiros gostam de voar junto com a fêmea
(Tal dica é arriscada...Dependendo da fogosidade da fêmea e do grau de
aceitação dele perante o macho, ele pode acabar levando uma surra ou o
contrário também pode acontecer...CAUTELA!). Nesses casos, é
recomendável um voador bem grande, do tamanho do que é usado para criar
canários da terra e se possível for, maior. Coloque ninho, sisal, fibra
de coco, barba de velho, o que lhe convir, mas sem excessos. Solte
primeiro a fêmea, deixe-a nesse voador por um dia e no dia seguinte,
coloque o macho. Caso isso não de certo se pode tentar fazer o inverso,
soltando primeiro ele, dando um tempo e depois ela. Explicação? A
maneira como cada um demarca seu território influencia nesses casos. A
grande maioria dos coleiros gosta de ver outros de sua espécie soltos,
ainda mais se os que estão soltos sejam fêmeas. Pode-se tentar simular
isso em um quarto (não cômodo pequeno, um quarto). Coloque a gaiola do
macho pendurada, seja em um prego na parede, em um gancho no teto, o que
seja. O importante é que ele não fique no chão porque pode se distrair
com você ou com a proximidade do chão e ignorar a presença da fêmea.
Deixe-o se acostumar um pouco no quarto, dar uns cantos de preferência e
após isso entre com a gaiola da fêmea, deixe-o ver ela à distância e
solte-a no quarto. Cuidado com armários, cômodas ou algo em que a fêmea
possa ficar presa, o importante é não estressa-la demais pois esse
procedimento se não for feito corretamente, pode ser traumático para o
pássaro. O tempo varia mas não recomendo mais do que 5 minutos por vez.
Bom amigos, os jeitos e macetes que conheço são esses se não me falha a
memória. Caso eu lembre de mais algum prometo postar no grupo para
conhecimento de todos vocês. No mais, é isso. Espero que essas colunas
venham a ajudar bastante a todos que assim como eu gostam de criar
nossos tão queridos amigos : os coleiros.
Um abraço;
Daniel Mendes
(COLEIRISTACARIOCA)
Colaborou: wesleyrio23@msn.com

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Acasalamento de Coleiros!

Mensagem por Kellyus Gainet em Seg 14 Mar - 0:13

Parabéns. Bom tópico.

Kellyus Gainet
Passarinheiro Recente
Passarinheiro Recente

Mensagens: 31
Pontos: 33
Reputação: 0
Data de inscrição: 05/03/2011
Localização: Fortaleza-Ce

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Acasalamento de Coleiros!

Mensagem por Anthony Thell em Seg 14 Mar - 9:57

Otima matéria.

Anthony Thell
Pasarinheiro Expert
Pasarinheiro Expert

Mensagens: 2494
Pontos: 2672
Reputação: 78
Data de inscrição: 07/12/2010
Idade: 16
Localização: Macaé-RJ

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Acasalamento de Coleiros!

Mensagem por Marinato em Seg 14 Mar - 16:46

Parabens otimo topico.

--------------------

Marinato


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]LUTO.

Marinato
Passarinheiro Avançado
Passarinheiro Avançado

Mensagens: 691
Pontos: 884
Reputação: 21
Data de inscrição: 14/12/2010
Idade: 19
Localização: Vitória ES

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Acasalamento de Coleiros!

Mensagem por Lucas 96 em Ter 15 Mar - 8:38

parabens aprendi muito com isso
10


Lembre-se seu passaro deve viver, e não sobreviver [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Lucas 96
Passarinheiro Recente
Passarinheiro Recente

Mensagens: 12
Pontos: 16
Reputação: 0
Data de inscrição: 09/03/2011
Idade: 17
Localização: Bragança Paulista

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 4 1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum