ANUNCIOS
ANUNCIO
SITES PARA CRIADOR
AJUDA COM OUTROS ANIMAIS
CANAL YOUTUBE
TopSites AvesPT
PESQUISE SOBRE ESPECIES
ATUALIZAÇÕES
Loading...

Técnicas e manejo das aves de gaiola

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Técnicas e manejo das aves de gaiola

Mensagem por Eduardo Machado em Dom 26 Out - 19:17

Alojamento e abrigo

No que tange ao Alojamento / abrigo, deve ser observado onde a ave irá ser alojada. Se
for apenas um pássaro, que irá ser mantido isolado, por exemplo, só para cantar, ele pode ser instalado
numa gaiola, compatível com o seu tamanho. Se for um coleirinho, uma gaiola pequena. Se for um sabiá,
uma gaiola maior e, assim por diante. Se o objetivo for a criação monogâmica (um casal por gaiola), este
casal deverá ficar confinado em uma gaiola criadeira, com espaço suficiente para estes moradores. Se a
criação for poligâmica (um macho para várias fêmeas), cada fêmea deverá ocupar sua própria gaiola
criadeira e, o macho, a sua.
Os reprodutores serão unidos quando o macho estiver fogoso e cantando e, a fêmea, pedindo
gala. Depois da gala, o macho volta para a sua gaiola. Esta operação geralmente é feita durante três ou
quatro dias para que todos os ovos sejam fertilizados.
Toda gaiola deve ter as acomodações necessárias de molde a atender as necessidades
especiais das espécies nela mantida.
As melhores gaiolas criadeiras são aquelas que têm grade acima do piso ou da bandeja de
fundo, evitando que as aves tenham contato direto com os excrementos.
Em criações domésticas, as gaiolas devem ser penduradas, em suportes, nas paredes de um
cômodo, de uma varanda ou de um quarto especialmente destinado a esta finalidade.
Jamais pendurar as gaiolas em paredes emboloradas, mofadas e úmidas, ou em corredores,
onde haja vento frio, constante e encanado. Estes fatores negativos prejudicam a saúde das aves.
As gaiolas devem ser penduradas uma ao lado da outras, de maneira que os reprodutores não
se visualizem.
Nos lados das gaiolas, coloca-se um anteparo, um tambique de madeira, de chapa de metal,
ou divisórias de plástico para impedir a visão.
Durante o período reprodutivo os casais não podem ter acesso visual a outras gaiolas. Se os
reprodutores enxergarem-se uns aos outros a criação fica inviabilizada (devido ao instinto territorialista,
belicoso neste período), pois os reprodutores passam a maior parte do tempo hostilizando-se mutuamente.
Os machos brigam com suas própria fêmeas, estas podem não fabricar o ninho ou mesmo
destruí-lo depois de pronto, além da morte dos filhotes pelos pais (por falta de alimentação, ou porque são
rejeitados ou porque acabam sendo expulsos e jogados fora do ninho).

Limpeza e higienização

O item limpeza/higienização/desinfecção é fundamental na manutenção de qualquer
animal cativo.
Tudo o que se relacionar à manutenção dos pássaros e aos utensílios/equipamentos usados
precisam ser escrupulosamente limpos, assim também o local, as gaiolas, os bebedouros, a água servida,
os alimentos (sementes, farinhada, frutas, legumes, verduras, grit (mistura de areia/casca de ovo
triturada/farinha de ostra e sais minerais), os comedouros, vasilhas, poleiros, os ninhos, as caixas-ninho, os
materiais de sua confecção).
Sem uma higienização bem feita, nenhuma ave poderá manter-se em condições de plena
saúde e, obviamente sucesso na criação ficará na dependência da eventualidade.
A limpeza das gaiolas deve começar pela bandeja do fundo.
Retiram-se os papéis que revestem o piso (se eles forem utilizados) ou limpam-se as fezes e
outros resíduos com uma espátula e uma esponja, tudo para evitar que os dejetos ou mesmo a poeira
acumulados venham a contaminar os alimentos e a água de beber.
Depois da limpeza do piso, pode-se trocar as sementes, a ração e as farinhadas e, por último,
a água.
Os comedouros, bebedouros, grades e pisos devem ser limpos e desinfetados (exemplo: cloro
diluído em água) pelo menos de três em três dias. Isto é fundamental.
Os pássaros devem tomar banhos freqüentes, de preferência uns quatro por semana, no
mínimo.
Durante a época de muda de penas, o banho deve ser diário.
Se a ave não quiser tomar banho, o criador-ornitófilo poderá borrifar água nas penas, por meio
de um borrifador/espergidor.
Não esquecer dos banhos de sol, nas primeiras horas da manhã. Isto é extremamente
benéfico para a saúde do animal.
De vez em quando um passeio com o pássaro ou a mudança da gaiola de um lugar também
influencia na melhoria da atividade e no comportamento.
Estes passeio ou mudanças de despertam a agilidade, ajudam a "esquentar" um pássaro que
estava inativo, indolente ou "frio", sem fogosidade ou tenha parado de cantar.

Fonte:Revista Passarinheiros

Eduardo Machado
ADMINISTRADOR
ADMINISTRADOR

Mensagens : 14473
Pontos : 17751
Reputação : 1049
Data de inscrição : 07/12/2010
Idade : 34
Localização : Espirito Santo do Pinhal - SP

http://www.criadoresdepassaros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Técnicas e manejo das aves de gaiola

Mensagem por João Pereira em Dom 26 Out - 20:32

EXCELENTE MATERIA 

João Pereira
Pasarinheiro Expert
Pasarinheiro Expert

Mensagens : 8295
Pontos : 9306
Reputação : 557
Data de inscrição : 01/07/2013
Idade : 31
Localização : perdido em algum lugar desse Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Técnicas e manejo das aves de gaiola

Mensagem por Eduardo Machado em Sex 2 Jan - 1:38

dabce Very Happy Very Happy

Eduardo Machado
ADMINISTRADOR
ADMINISTRADOR

Mensagens : 14473
Pontos : 17751
Reputação : 1049
Data de inscrição : 07/12/2010
Idade : 34
Localização : Espirito Santo do Pinhal - SP

http://www.criadoresdepassaros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum